14
Sáb, Dez

“Delas para elas”: dançar é mais que movimentar o corpo

Cooperation personally thermal efficient lake

Barueri
Typography
  • Smaller Small Medium Big Bigger
  • Default Helvetica Segoe Georgia Times
Texto: InServer
Foto: Divulgação

No dia 8 de novembro (sexta-feira) aconteceu o espetáculo “Delas para elas” no Centro de Eventos de Barueri, realizado pelas Meninas de Expressão. O projeto está em seu sétimo ano e é realizado pela Secretaria da Mulher.


As 103 mulheres do grupo de dança subiram ao palco e apresentaram incríveis coreografias. Foram 10 trocas de figurinos, que fizeram a grande plateia vibrar pela apresentação.

O projeto atende o mais variado público e tem como objetivo ensinar diferentes danças e ritmos. Atualmente conta com mais de 185 alunas registradas que afirmam que não ficam   mais sem a dança.

As alunas destacam que tiveram melhorias em todos os aspectos de suas vidas. Em relação ao corpo, melhorias na postura, na desenvoltura, coordenação motora e perda da timidez. Em relação ao pessoal, melhorias na autoestima e confiança foram aspectos importantes citados por todas as alunas. “Eu sinto que a dança faz a diferença na vida dessas mulheres porque elas se fortalecem e não é uma coisa de falar ‘ah, vai se empoderar’. Elas só descobrem que já têm esse poder”, declarou a professora de dança e líder do projeto Rita Nogueira.

Muito mais do que dançar, hoje essas mulheres transformaram o centro de dança em uma grande família de apoio mútuo. Elas encontraram um local onde podem compartilhar experiências de vida, os problemas se desligam e os sentimentos se soltam.

“A Rita tem paciência de ensinar como uma mãe, de explicar até os mais simples passos. Ela diz que quando a gente dança devemos desligar dos problemas, das dívidas e de tudo. Devemos aprender a ter um horário somente para nós. E essas são coisas que eu aprendi no meu primeiro dia de aula, e nunca esqueci, e eu tenho um problema sério de memória, porque eu fiz três cirurgias na cabeça, pois tenho um cisto no cérebro. Mas aqui não tem diferença, somos todas tratadas como igual e isso faz a diferença em nossas vidas. E podem falar o que for, mas da aula dela eu não deixo ninguém me tirar”, disse com emoção a aluna Cristina Nunes.

Para além da dança
Uma das alunas chamada Eloise Andrade começou a confeccionar bonecos com garrafas. Onde outros poderiam ver uma coisa simples, Rita viu uma oportunidade e o que era para ser apenas uma confecção virou um apoio mútuo. Ela decidiu levar os bonecos para dentro de suas aulas, e durante as confecções acontecem rodas de conversa, em que as alunas contam sobre suas vidas, suas dificuldades e sonhos.

O projeto se chama “Confeccionar para doar amor” e está atualmente em seu terceiro ano. Depois dos bonecos finalizados, as alunas os distribuem pelos hospitais de Barueri, em orfanatos e em casas de repouso.

Ao final da cerimônia as mulheres do grupo convidaram todos para conhecer o projeto de perto. Para participar basta se informar sobre as aulas na Secretaria da Mulher e fazer a matrícula. “Venham participar do projeto, arregacem as mangas e saiam um pouco do conforto de seu lar. Às vezes nem está tão confortável assim, tomem coragem, pois o primeiro passo na dança é como aprender a andar, depois que você aprende, não para nunca mais”, finalizou a professora Rita.

Inscreva-se através do nosso serviço de assinatura de e-mail gratuito para receber notificações quando novas informações estiverem disponíveis.